Sites Grátis no Comunidades.net
Free Translation Widget
SOBRE O SITE.
O QUE VOCÊ ACHOU DO SITE?
RAZOAVEL
BOM
ÓTIMO
EXECELENTE
PROFISSIONAL
PÉSSIMO
MUITO RUIM
PREFIRO NÃO COMENTAR
Ver Resultados

Rating: 3.1/5 (396 votos)




ONLINE
4





Partilhe este Site...




 

TALES DE MILETO
TALES DE MILETO

 

Tales foi o primeiro filósofo e proponente de um sistema da natureza, em que o elemento fundamental é a água, bem como sempre citado como o primeiro entre os sete sábios da Grécia.

Também foi sempre citado como tendo sido o primeiro a prever um eclipse do sol e por dar nome a um teorema da matemática.
Por tantos títulos é conveniente a todo filósofo e cientista conhecer algo mais do referido Tales de Mileto, também porque foi o primeiro sábio a superar as explicações míticas, com isto encaminhando a ciência e a filosofia para seu verdadeiro curso.
Vida
Vida - Filósofo, matemático, astrônomo, político Filho de pais ricos e nobres: Exâmias e Cleobulina, Tales foi comerciante de sal e de azeite de oliva, e enriqueceu como proprietário de prensas de azeitona durante uma safra promissora.  Muitos historiadores apontam o nascimento de tales na cidade de Mileto na Ásia menor, mas o fato é que não pode se afirmar com toda certeza, assim como sua data de nascimento e morte, muito embora seja o mais provável que tenha nascido em Mileto.
Dizem alguns, como Heródoto, que ele veio da Fenícia e se fez cidadão de Mileto. "Tales de Mileto, fenício por antiga origem "1.
Acrescentou Diógenes Laércio sobre Tales:
"Segundo estes testemunhos, teria obtido o direito de cidadania em Mileto, quando aqui chegou com Neleu, fugido da Fenícia. A opinião mais acreditada, porém, é a de que era originário de Mileto e de uma família ilustre" 5.
Se fosse verdadeira esta informação, ela apoiaria a opinião de que houvera alguma influência oriental no despertar da filosofia grega. Mais firme é a opinião de que Tales tenha sido tão jônico, quando os demais filósofos e sete sábios da Grécia.
 
As datas de nascimento e morte de Tales se fixam pelo calendário dos jogos olímpicos, em combinação com acontecimentos significativos:
  • Nascimento pelo ano 624 a.e.c.;
  • Morte, cerca de 546 a.e.c.
 Na época de Tales, a concepção do Universo era vaga. Somente alguns séculos mais tarde a cultura grega elaboraria a idéia de uma estrutura heliocêntrica do Universo e Erastóstenes ousaria medir as dimensões da Terra, chegando a um resultado tão preciso que competiria com aquele só alcançado no século XIX.
Para os contemporâneos de Tales, a Grécia era o centro do Universo, e a Terra um globo flutuando nas águas. Tales também pensava desta maneira. Mas, se essa concepção era suficiente para explicar como estava colocada a Grécia em relação ao mar, certamente não era suficiente para explicar como estavam dispostos os planetas no espaço e, muito menos, como ocorriam os eclipses. Por isso, julga-se hoje que a previsão de Tales sobre o eclipse de 585 a.e.c. se deve exclusivamente ao entusiasmo de alguns historiadores, a fim de aumentar seus feitos e suas glórias.
Todos os pensadores sentiam uma necessidade fundamental de descobrir o princípio material segundo o qual tinha evoluído todo o Universo, diferenciando-se depois em todos os seus aspectos. Para Tales, o elemento básico, a partir do qual se tinha formado toda a matéria do Universo, era a água. Um dia, pensava ele, seriam descobertas leis que permitiriam compreender como a água era a origem de todas as coisas.
Quando Tales foi para o Egito, a penetração da cultura grega tinha apenas se iniciado, embora já existissem colônias gregas e os faraós tivessem a seu serviço tropas auxiliares constituídas por mercenários gregos. Os objetivos das viagens de Tales eram provavelmente o estabelecimento de relações comerciais entre os dois povos. Conciliando suas tarefas mercantis com o estudo, encontrou uma maneira de aprender mais, entrando em contato com pensadores que poderiam ajudá-lo a alargar seus conhecimentos.
Para Tales, cada problema da vida era interessante; provavelmente considerava igualmente importantes um negócio comercial, um problema político, um teorema de geometria, ou ainda uma questão que dissesse respeito à Terra. E suas viagens devem tê-lo levado, além do Egito, à Pérsia e países do Mediterrâneo Oriental. Permitiram-lhe, portanto, estudar as características dos povos com os quais entrava em contato, assimilando suas tendências culturais e políticas. 
 Doutrinas 
Agua como 1º Elemento | Materialismo Monítico | | Terremotos
Agua como primeiro elemento na composição da matéria - Segundo Tales de Mileto a Terra seria um disco circular flutuando num oceano (``como um pedaço de madeira'') que seria o princípio de todas as coisas. Todas as substâncias seriam diferentes formas do elemento água: vapor, terra, água. É possível que esta idéia de água como elemento essencial provenha dos babilônios. Os corpos celestes seriam ``exalações aquosas'' em estado incandescente, fenômenos físicos efêmeros, tal como os fenômenos meteorológicos. Com todas as imperfeições que possa ter como explicação do Mundo, esta teoria tem o mérito de não invocar nenhum poder alheio à natureza. Baseia-se em observações ordinárias sobre os materiais como, por exemplo, a fusão do gelo, a evaporação da água, os depósitos aluviais de sedimentos, que sugerem uma ``condensação'' da água em terra, e assim por diante. Esta é uma característica marcante da escola jônica, que marca uma primeira ruptura com a sacralização da natureza existente nas grandes civilizações anteriores. 
Para Tales a arché 13, a matéria prima, a origem de tudo é a água, Tales diz: "Tudo é água". Segundo Aristóteles, a contribuição de Tales é relevante enquanto investiga o porquê das coisas. Para ele, "a terra flutua na água, que é de certo modo a origem de todas as coisas".O filósofo alemão Nietzsche diz que Tales é um mestre criador que, sem fabulação fantástica, começou a ver a natureza em suas profundezas. Para isso, serviu-se da ciência e do demonstrável, mas logo foi além deles, já que isso é uma característica típica da cabeça filosófica.
Pra suportar as transformações e permanecer inalterada, a água deveria ser um elemento eterno.
Tales também observou que o calor necessita de água, que o morto resseca, que a natureza é úmida, que os germens são úmidos, que os alimentos contêm seiva, e concluiu que o princípio de tudo era a água. Com essa afirmação deduz-se que a existência singular não possui autonomia alguma, apenas algo acidental, uma modificação. A existência singular é passageira, modifica-se. A água é um momento no todo em geral, um elemento. Tales com essa afirmação queria descobrir um elemento físico que fosse constante em todas as coisas. Algo que fosse o princípio unificador de todos os seres.
As razões que levaram a Tales a estabelecer a água como princípio de todas as coisas podem ser examinadas sob vários enfoques, desde o apoio dos mitos, passando pelas preocupações científicas nascentes da época, até as tentativas de provas objetivamente examinadas. Como elemento básico de tudo, é o de sua maior presença. Não tinham todavia os antigos recursos técnicos para constatação mais exaustiva de suas hipóteses, como se passou a ter no futuro. Podiam estar entretanto no caminho certo.
O que Tales entendia exatamente pela água? E como é que ela se transformava?
Parece que a advertência era para o caráter líquido da água, o que parecia provocar sua onipresença. E por isso, as informações doxográficas antigas usam, ora o termo água ora úmido. Quanto ao modo de se transformar a água não chegaram detalhes até nós, se, por exemplo, pelo processo alternativo de condensação e dilatação. Sobre estes modos de transformação tratam mais vastamente os filósofos seguintes; ao menos se sabe mais sobre o que disseram.
Mas teve Tales como firme, que a água se move por movimento próprio e contínuo, sem que algo de diferente a ela a movesse, ao modo por exemplo de um Demiurgo 14, ou outro qualquer ser mítico.
 Terremotos - Foram explicados por Tales como flutuação pouco firme da terra sobre a água que a sustenta nos fundamentos. Diz um texto, cujo informe deriva da tradição de Teofrasto, através da escola estóica de Possidônio: "Porque diz Tales, que o mundo está apoiado sobre a água, e que ela viaja como navega ao modo de navio, e que ela flutua movente" 27 . O terrífico fenômeno do terremoto, que as narrativas míticas apresentavam como punição divina, passa, a partir de Tales, a ter uma explicação racional, ainda que com falta de acerto. A explicação de Tales significa ao menos um bom começo. Estimulado certamente por esta teoria, Anaximandro tentará outra melhor.
 “... A água é o princípio de todas as coisas...”. - “... Todas as coisas estão cheias de Deuses...”. - “... A pedra magnética possui uma alma porque move o ferro...". - “... A alma é uma natureza sempre em movimento, ou que se move por si mesma...". - “... Deus é o mais antigo dos entes, porque ele é por si mesmo...”. - “...O mundo é isto, que de mais belo existe, porque ele é a obra de Deus...”. - “... O espaço é aquilo, que de maior existe, porque ele contém tudo...”. - “... A mente é isto, que de mais rápido existe, porque ela corre através de tudo...”. - “... A necessidade é o que há de mais forte, porque ela tudo rege...”. - "... O mais sábio é o tempo, porque ele descobre tudo...". 
 
 fonte:http://www.templodeapolo.net